Doença Cerebrovascular: O que é? Sintomas, Prevenção, Tratamento e Mais!

Doença Cerebrovascular

E-Book Dieta DASH (Grátis)

Baixe agora mesmo seu exemplar do nosso E-Book Dieta DASH e tenha no seu celular, tablet ou computador um dos maiores guias de saúde para o coração do Brasil!

O presente artigo visa ensinar a você o que é a doença cerebrovascular e muito mais! 

Acompanhe o conteúdo exclusivo até o fim para que possa se manter atento aos sintomas e, em caso de diagnóstico positivo, você saiba o que fazer e como tratar.

Veja abaixo quais vão ser os tópicos tratados neste post:

  • O que é a doença cerebrovascular?
  • Dados importantes
  • Sintomas da doença cerebrovascular
  • Fatores de risco da doença cerebrovascular
  • Prevenção
  • Tratamento da doença cerebrovascular

O que é a doença cerebrovascular?

Você sabia que doença cerebrovascular constitui um grupo de doenças que é causador de diversas mortes ao redor do mundo?

Também é possível afirmar que quando uma pessoa sofre com doença cerebrovascular, ela pode adquirir sequelas para sempre. 

Acontece uma obstrução lenta das artérias que possuem a função de levar sangue e demais elementos essenciais para o cérebro humano. 

No seu modo agudo, o fluxo sanguíneo é estagnado provocando a morte de tecidos do cérebro que, futuramente, causará sequelas leves ou graves que podem levar à morte. 

Dentro deste grupo, posso citar o acidente vascular cerebral (AVC), comumente denominado de “derrame cerebral”, aneurismas, estenoses carotídea e intracraniana; malformações vasculares, e demais doenças. 

Quando o caso é crônico, pode trazer problemas à memória do doente provocando demência.

Vale ressaltar que esse grupo de doenças pode apresentar isquemia, que é quando a circulação sanguínea é obstruída.

Com isso, há falta de oxigênio nos tecidos que dependem dessas artérias responsáveis por irrigar o cérebro.

Esse é o modo padrão, e esse bloqueio pode ocorrer por causa de um coágulo, estreitamento ou bloqueio dos vasos. 

Também é possível que haja uma ruptura dos vasos sanguíneos.

Nos últimos anos, nosso país teve uma grande redução na taxa de mortalidade por doenças cerebrovasculares entre mulheres e homens. 

A pressão alta é um dos fatores de risco principais. 

A explicação dessa redução que ocorreu no Brasil tem a ver com a identificação rápida, tratamento ideal e constante controle da doença cerebrovascular.

Por mais que a taxa de mortalidade esteja caindo, as doenças cerebrovasculares ainda causam um alto número de mortes. 

Aos sobreviventes, causam demência, incapacidade funcional e perda de autonomia, inclusive nas pessoas com menos idade.

Doença Cerebrovascular: Dados importantes

Como já foi mencionado, em relação ao Brasil, as doenças cardiovasculares são responsáveis por causar diversas mortes em todo mundo. 

Dentre elas, a doença cerebrovascular e as isquemias do coração são responsáveis por grande parte dos óbitos.

Analisando apenas essas doenças, o acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI) é o modo mais comum que corresponde por volta de 80% de todos os casos analisados.

Doença Cerebrovascular: AVCs

Contando de 1990 até 2017, o AVC isquêmico no nosso país, entre homens e mulheres, reduziu de 87,5 a cada 100 mil pessoas para 67,2 a cada 100 mil. 

Os índices de mortalidade, nos sexos citados e no mesmo período de tempo, caíram de 54,8 para 22,6 a cada 100 mil pessoas.

Doença Cerebrovascular: Aneurismas

Um aneurisma ocorre quando a parede dos vasos sanguíneos se dilata, normalmente artérias, e a estimativa é que cerca de 3,2% da população mundial, de média idade, tenha aneurismas no cérebro. 

As mulheres têm maior incidência que os homens, e grande parte dos casos para ambos os sexos é identificada entre os 51 a 60 anos.

Em sua maioria, os aneurismas cerebrais não apresentam sintomas e são diagnosticados apenas depois do rompimento. 

Doença Cerebrovascular: Malformação Vascular

As conexões anormais que acontecem nas artérias ou veias são chamadas de malformações vasculares.

As veias são os vasos que trazem o sangue de volta dos órgãos e dos tecidos para o coração.

Agora, as artérias realizam o caminho contrário, transportando o sangue com oxigênio do coração às outras partes do corpo. 

Doença Cerebrovascular: Estenoses

Basicamente, as estenoses são conhecidas por serem estreitamentos em canais, vasos e dutos, e podem acontecer em diversos órgãos do corpo. 

A estenose carotídea atinge a artéria carótida, que possui a responsabilidade de conduzir o sangue com oxigênio até o cérebro.

De um modo geral, esse estreitamento é causado pela aterosclerose, que nada mais é que a formação de placas de gordura na parede dos vasos. 

Realizar um tratamento ideal é essencial para que o risco de AVC e infarto do miocárdio diminua nos doentes que estão com estenose carotídea.

Sintomas da doença cerebrovascular

Por mais que possam ficar silenciosas por bastante tempo, as doenças cerebrovasculares podem apresentar sintomas neurológicos, tais como tonturas, mudanças na fala e visão e dores de cabeça.

É de extrema importância frisar que ao ter qualquer sintoma, procure o Dr. Diogo Kalil para que ele possa realizar uma análise completa do seu organismo.

Através de exames, o diagnóstico será dado. Caso seja positivo, o médico cardiologista vai encaminhar o paciente ao melhor tratamento possível.

Dentre os sintomas que mais se apresentam, estão:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Tontura ou vertigem;
  • Náuseas ou vômitos;
  • Fraqueza em um lado do corpo, que pode ser manifestada no rosto ou até em um dos braços com formigamento e dormência;
  • Perda parcial ou total da visão, visão dupla ou borrada;
  • Dificuldade de compreensão;
  • Dificuldades na fala;
  • Estado de confusão na mente e desorientação.

Diagnóstico

Para diagnosticar a doença cerebrovascular é de suma importância que seja feita uma avaliação clínica para a verificação dos sinais vitais e também do nível de consciência do paciente. 

Também são solicitados exames de imagem e laboratoriais, para a identificação de hemorragia.

Dentre os exames que o médico pode solicitar, estão: 

  • doppler transcraniano; 
  • eletrocardiograma; 
  • testes sanguíneos (glicemia, hemograma, lipidograma, plaquetas e entre outros); 
  • exames de tomografia ou ressonância; e 
  • ecoDoppler de artérias. 

De acordo com o histórico clínico do paciente e da avaliação médica, esses exames podem sofrer tanto com substituições, quanto adições.

Fatores de Risco

Existem condições que são modificáveis e outras consideradas como não-modificáveis que provocam as doenças cerebrovasculares

Caso for levar em conta as modificáveis, a principal é a hipertensão, que representa por volta de 80% dos casos de acidente vascular cerebral.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Doenças Cardiovasculares, a pressão arterial média de um adulto com boa saúde é de 120 por 80 mmHg, geralmente lida como “12 por 8” (12×8). 

Considera-se como uma fase anterior à hipertensão a pressão 130 por 85 mmHg (13×8) e como, propriamente, hipertensão 140 por 90 mmHg (14×9).

Outras causas de risco modificáveis são: tabagismo, obesidade, diabetes e níveis altos de colesterol. 

Entretanto, dentre as que não podem ser modificadas, posso citar: a idade avançada, fatores genéticos, AVCs anteriores e histórico familiar.

Prevenção

Para que as doenças cerebrovasculares sejam evitadas, é preciso controlar a hipertensão, visto que é a maior causadora da doença.

Parar de fumar é outro ato importante para que as doenças cerebrovasculares não te atinjam.

Tratamento

O tratamento das doenças cerebrovasculares conta com medicamentos e/ou cirurgia.

Contudo, para um médico solicitar a cirurgia, é porque há presença de hemorragias internas. 

O principal intuito do tratamento é controlar a circulação sanguínea do cérebro, para que o funcionamento do órgão seja garantido.

Os medicamentos usados incluem redutores dos níveis de colesterol ruim, antiplaquetários, anticoagulante e anti-hipertensivos.

Enfim, na presença de qualquer sinal que possa apresentar presença de doença cerebrovascular, é preciso procurar o médico cardiologista no DF.

O médico irá diagnosticar o paciente e mostrar o melhor caminho para que haja sucesso no tratamento da doença cerebrovascular.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de Ajuda?

Marque sua consulta!

Fale no WhatsApp

Matérias relacionadas

Aneurisma da aorta abdominal
Doenças cardíacas
Aneurisma da Aorta Abdominal

Dentre os aneurismas da aorta existentes, o aneurisma da aorta abdominal é o mais frequente e acontece na parte intra-abdominal, ou seja, dentro do abdómen.