Minha hipertensão (pressão alta) não baixa: o que fazer?

E-Book Dieta DASH (Grátis)

Baixe agora mesmo seu exemplar do nosso E-Book Dieta DASH e tenha no seu celular, tablet ou computador um dos maiores guias de saúde para o coração do Brasil!

A hipertensão arterial, mais conhecida como pressão alta, é um problema muito frequente no nosso país.

Estima-se que cerca de 20-25% da população tenha a pressão arterial alta, ou seja, são portadores de hipertensão arterial sistêmica.

E em maiores de 60 anos, a prevalência pode chegar a 50%.

E o grande problema é que essa doença aumenta o risco de infarto e outras doenças cardiovasculares.

Ela é responsável também pela maior parte dos casos de doença renal terminal, com necessidade de hemodiálise.

Neste artigo, vou discutir como você pode controlar a hipertensão arterial resistente, ou seja, aquela que não abaixa com facilidade.

Portanto fique comigo até o final, pois vou dar dicas importantes sobre como cuidar da sua pressão.

Peço também que compartilhe esse texto nas suas redes sociais!

Vamos ajudar as pessoas a terem uma saúde melhor e a salvar vidas.

O que é a pressão alta?

A pressão alta é uma doença que se caracteriza por uma pressão elevada do sangue dentro dos vasos sanguíneos.

E o que pode causar essa elevação?

Primeiramente, se o coração estiver contraindo com mais força do que o normal, pode haver uma elevação da pressão dentro das artérias.

Para entender melhor, é só você pensar em uma bomba de água que bombeia a água do subsolo do prédio até a caixa d’água no topo do edifício.

Se a bomba jogar a água com pouca força a pressão estará baixa.

E ao contrário, se bombear com muita força, a pressão dentro dos canos estará alta.

Outro fator que pode aumentar ou reduzir a pressão é o calibre dos vasos.

Se os vasos estiverem mais contraídos, isto é, mais finos, a pressão do sangue será maior.

Se os vasos estiverem mais dilatados, a pressão será menor.

Mais uma vez, para entender melhor pense no encanamento. Se a bomba está bombeando a água com força em canos muito finos, a pressão dentro desses canos estará muito alta.

Quando estamos com a adrenalina muito alta na corrente sanguínea, o coração aumenta a força de contração e os nossos vasos ficam mais contraídos aumentando a pressão.

Uma coisa muito interessante é que os nossos vasos sanguíneos podem se contrair ou dilatar conforme a necessidade.

Por exemplo, se a pessoa está desidratada e com pouco sangue nos vasos, eles se contraem para evitar que a pressão caia.

Porém com a idade, nossos vasos se tornam mais rígidos, o que aumenta o risco de hipertensão.

Outra causa de aumento da pressão arterial é o volume de sangue.

Quanto mais sangue dentro das artérias, maior a pressão.

Vamos pensar de novo nos encanamentos do nosso prédio. Quanto mais água a bomba joga, maior a pressão nos canos.

Então, fatores que aumentem o volume de sangue no nosso corpo podem aumentar a pressão, como por exemplo, o excesso de sal.

O sódio presente no sal de cozinha precisa de água para ser carregado.

Por isso, quanto mais sódio no nosso sangue, mais água vai acompanhar esse sal e maior o risco de aumento da pressão.

E quais os fatores de risco para a hipertensão?

Como acabamos de falar, o consumo elevado de sal é um dos fatores de risco para pressão alta.

A obesidade também é um importante fator de risco.

O excesso de gordura no corpo aumenta alguns hormônios como cortisol, adrenalina e angiotensina, causando aumento do sal e contração dos vasos sanguíneos, aumentando a pressão.

O sedentarismo, da mesma maneira é um fator de risco. Os exercícios aumentam a quantidade de hormônios vasodilatadores, reduzindo a pressão.

Além desses fatores, a idade avançada também aumenta o risco.

Com o passar dos anos, nossas artérias se tornam mais rígidas, endurecidas, o que aumenta o risco de hipertensão.

Uma alimentação com muitos alimentos ultraprocessados (industrializados) também aumenta o risco, pois esses alimentos aumentam a inflamação no organismo, causando vasoconstrição das arteríolas.

E além disso, esses alimentos normalmente também são ricos em sódio.

Do mesmo modo, um sono ruim e o estresse elevado aumentam a adrenalina, causando contração das artérias, a chamada vasoconstrição, aumentando os níveis pressóricos.

E a pressão alta que não abaixa (resistente)?

Ela é definida como a pressão que permanece acima do normal, mesmo com o uso de três ou mais medicações anti-hipertensivas.

Até 10% dos hipertensos podem ter essa hipertensão resistente.

A PRESSÃO ALTA resistente é ainda mais perigosa, pois aumenta mais o risco de complicações como doença renal, infarto ou AVC.

Por isso deve ser tratada, muitas vezes com 4 ou mais medicações, incluindo um diurético e um antagonista dos mineralocorticoides, que no Brasil o mais comum é a espironolactona.

Porém, às vezes a resistência é na verdade uma falsa resistência ou pseudo-resistência apenas, devido a uma das condições abaixo, como:

  1. Hipertensão do jaleco branco: é aquela pressão que sobe apenas no consultório, mas quando o paciente está em casa está normal. Cerca de 20% dos hipertensos resistentes podem na verdade não ser resistentes e apresentar esse fenômeno do jaleco branco.
  2. Má aderência ao tratamento: ou seja, a pressão não se controla pois o paciente não usa a medicação direito. Tem gente que toma o remédio apenas quando a pressão está alta. Gente, isso é MUITO PERIGOSO. Deve-se tomar os remédios todos os dias independentemente do valor da pressão.
  3. Tratamento subótimo: isso é quando o médico não prescreve o tratamento adequado e deixa o paciente subtratado, isto é, com menos medicações do que ele precisa.

E quais os fatores de risco para a hipertensão resistente?

  1. Afrodescendência
  2. Idade avançada
  3. Obesidade
  4. Insuficiência renal
  5. Diabetes
  6. Apneia do sono
  7. Abuso de álcool ou drogas

E como controlar a hipertensão resistente?

Se você tem uma hipertensão resistente é fundamental consultar com seu cardiologista para avaliar a causa dessa resistência.

Pois pode ser às vezes um outro problema que você talvez nem saiba que tem.

Como a apneia do sono, por exemplo.

E pode ser que tratando esse problema, a hipertensão melhore também

Mas isso, você somente vai conseguir descobrir com a ajuda do seu médico.

Melhorar o estilo de vida também é fundamental para melhorar a hipertensão resistente.

Deve-se perder peso, reduzir o consumo de sal, reduzir o consumo de alimentos ultraprocessados.

É também recomendado trocar as carnes por carnes mais magras, preferencialmente carnes brancas. Recomenda-se o consumo de peixes duas vezes por semana pelo menos.

Aumentar o consumo de vegetais. O indicado é, no mínimo, 5 porções de frutas, verduras e legumes por dia.

Laticínios com baixo teor de gordura, como leite desnatado ou semidesnatado, iogurte e queijo lights também são benéficos para a pressão arterial, pois tem pouco sódio e são ricos em cálcio, o que pode ajudar a reduzir a pressão.

Deve-se também trocar os cereais por grãos integrais, ou seja, o arroz branco pelo integral, bem como o pão.

A dieta DASH é uma dieta formulada especialmente para abaixar a pressão arterial. Além disso, ela pode ajudar a reduzir o peso e melhorar a saúde como um todo.

Clique aqui para baixar um E-book gratuito que eu elaborei sobre a dieta DASH.

Fazer exercícios também é uma ótima maneira de abaixar a pressão.

A OMS recomenda pelo menos 150 minutos de atividades físicas moderadas por semana.

Tente também controlar o estresse e o sono. Exercícios de meditação, de atenção plena ou relaxamento podem ser boas opções.

 E, por último, cuide da sua espiritualidade.

Hoje a medicina sabe que cuidar da religiosidade e espiritualidade é muito importante para a saúde.

Pratique a gratidão e o perdão todos os dias.

E você? Tem alguma dúvida sobre pressão alta resistente? Deixe aqui nos comentários!

Um abraço e até o próximo artigo.

Crédito imagem:

Epidemic photo created by freepik – www.freepik.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de Ajuda?

Marque sua consulta!

Fale no WhatsApp

Matérias relacionadas