Cardiologista: 5 coisas que você deve saber sobre esse especialista!

Cardiologista: 5 coisas que você precisa saber sobre esse profissional

Cardiologista Dr. Diogo Kalil

O Cardiologista é o médico que trata as doenças do coração. 

Você sabia que essas doenças são a principal causa de morte individual no Brasil?

Mas saiba que, com a ajuda do cardiologista, você pode prevenir essas doenças.

Então leia esse artigo e entenda melhor esse importante assunto!

1) O cardiologista é o médico especialista nas doenças do coração e do sistema circulatório

Você sabia que o cardiologista estuda muito para se tornar especialista?

A formação normalmente exige, além dos 6 anos do curso de medicina, mais 2 anos de residência em clínica médica e mais 2 anos de residência em Cardiologia.

Foi assim comigo, que fiz o curso de medicina na UnB e a residência de cardiologia no Hospital de Base de Brasília.

Muitos profissionais ainda estudam mais tempo para se especializar ainda mais, como em arritmias, hemodinâmica ou métodos de imagem.

Todo esse esforço é necessário pois as doenças do coração e do sistema cardiovascular estão entre as mais importantes em nossa sociedade.

2) As doenças tratadas pelo cardiologista matam mais que câncer

As doenças cardiovasculares são responsáveis por cerca de 30% de todas as mortes, sendo a principal causa de morte individual no nosso país.

No ano de 2017, quase 290 mil brasileiros perderam a vida por doenças como infarto do miocárdio ou AVC.

Porém, o que você talvez não saiba é que boa parte dessas mortes poderiam ser prevenidas.

Com medidas simples como mudanças no estilo de vida, melhora na dieta, parar de fumar, fazer exercícios físicos e controle da pressão, do colesterol e do açúcar no sangue é possível prevenir as principais doenças cardíacas.

Por isso, é muito importante se consultar com um cardiologista regularmente. Pois ele é o médico que vai te ajudar a cuidar da saúde do seu coração e prevenir essas doenças.

Eu recomendo aos meus pacientes que venham se consultar ao menos uma vez no ano, pois estamos falando de doenças muito frequentes no nosso país e que causam muitas mortes.

3) O cardiologista é o especialista que trata da pressão alta

A dieta DASH ajuda a controlar a pressão arterial. Cardiologista Dr Diogo Kalil

A hipertensão é uma das doenças crônicas mais comuns. Um em cada quatro brasileiros são hipertensos.

Entre os idosos, a hipertensão pode acometer até metade das pessoas.

É uma doença muitas vezes silenciosa, o que a torna mais perigosa ainda.

Ela pode aumentar o risco de infarto, doenças nos rins, nos olhos e de acidente vascular cerebral (AVC).

O cardiologista é o especialista que pode te ajudar a controlar a pressão e reduzir esse risco.

Além de passar medicações, ele pode te ajudar a fazer outras medidas que controlem a pressão, como diminuir o sal, fazer dieta, atividade física, melhorar o sono etc.

Assim caso seja hipertenso, procure seu cardiologista periodicamente para fazer um check-up periódico e cuidar da sua saúde.

4) Quando é que devemos procurar um cardiologista

Um ataque cardiaco silencioso pode ser mais perigoso! Cardiologista Dr. Diogo Kalil

Recomendo que você procure seu cardiologista uma vez ao ano para fazer uma consulta, verificar sua pressão arterial e fazer um eletrocardiograma.

Caso seja necessário ele pode pedir outros exames complementares também.

Mas, além disso, pessoas com sintomas de doenças cardiovasculares também devem marcar um cardiologista.

E quais são esses sintomas:

  • Dor no peito: a dor no peito pode ocorrer por entupimentos nas artérias coronárias do coração ou por inflamação no coração.
  • Falta de ar: esse sintoma pode ocorrer por causa de problemas no coração, como a insuficiência cardíaca, ou também por entupimentos das coronárias.
  • Palpitações: as palpitações podem ser sinal de alguma arritmia.
  • Tontura ou desmaio: são sintomas que devem ser investigados também no cardiologista, pois muitas vezes ocorrem devido a doenças cardiovasculares.

Além disso, pessoas que tenham doenças que aumentam o risco de doenças cardíacas também devem se consultar com o cardiologista. Entre essas doenças estão:

  • A Hipertensão
  • O diabetes
  • O colesterol alto
  • A insuficiência renal

Pessoas que tem fatores de risco para problemas cardiológicos também devem ficar atentas e procurar regularmente o cardiologista. Entre esses fatores de risco estão: o fumo, a obesidade, o sedentarismo, o estresse e o histórico na família de infarto, AVC e morte súbita.

5) Quais exames o cardiologista pode pedir?

O cardiologista normalmente já faz o eletrocardiograma do paciente antes da consulta, pois é o exame mais básico da cardiologia.

Ele mostra como está o ritmo do coração, se tem alguma arritmia.

Cardiologista Dr Diogo Kalil

Mostra também possíveis sobrecargas nas câmaras cardíacas.

Pode mostrar também se há bloqueios ou se o paciente teve um infarto recente ou antigo.

Pode sugerir também isquemia, que é o entupimento nas veias do coração.

Portanto, é um exame que pode dar muitas informações e ajudar no processo de diagnóstico.

O teste de esteira muitas vezes é solicitado também, pois pode mostrar se o paciente tem isquemia e arritmias que aparecem no esforço.

O teste ergométrico também pode dizer a capacidade física do paciente e se a pressão arterial e a frequência cardíaca estão normais no esforço.

Já o ecocardiograma é um exame de imagem que serve para ver se tem algum sopro nas válvulas do coração. Ele também mostra o tamanho das cavidades cardíacas, o músculo cardíaco e a força de contração do coração.

O Holter de 24h mostra um eletrocardiograma, mas de 24 horas de duração, pois o paciente leva o aparelho para a casa. Desse modo, o cardiologista pode saber se o paciente tem alguma arritmia que só aparece em determinados momentos.

Já o Mapa mostra o comportamento da pressão arterial nas 24 horas e serve para ajudar no diagnóstico de hipertensão.

Conclusão

Não deixe de cuidar da sua saúde!

O Cardiologista pode te ajudar a prevenir muitas doenças e a tratar dos problemas que eventualmente você tenha.

Ele é o profissional capacitado para te ajudar a cuidar melhor da saúde do seu coração.

Marque sua consulta!

Quem sou?


Meu nome é Diogo, sou casado e pai de 4 lindas crianças. 

Nasci em 1981 e fui criado em Sobradinho, cidade-satélite de Brasília.

Estudei em escola pública e sempre recebi o incentivo dos meus pais, que são professores, para tentar correr atrás dos meus sonhos.

Consegui uma bolsa de estudos durante o segundo grau para estudar em uma escola privada em Brasília.

Com muito custo e dificuldades passei no vestibular de medicina da UnB, um dos mais concorridos do Brasil, onde me formei médico em 2005.

Em 2008, quando fazia a residência de Clínica Médica, recebi o diagnóstico de um câncer. Na ocasião minha esposa estava grávida do nosso primeiro filho.

Após a cirurgia para retirada do tumor, pela graça de Deus, descobrimos que a doença era, na realidade, benigna. 

Quero ajudar você a cuidar da saúde do seu coração! Já passei pela dificuldade de estar do outro lado, ou seja, de ser um paciente aflito e sei o quanto ser recebido por um médico empático ajuda no processo de tratamento.

Marque sua consulta comigo! Estou aqui para te ajudar!

Telefone: (61) 3213-4805.

Posso fazer atividade física após o Covid?

Tive COVID-19. Posso fazer exercícios físicos?

A prática regular de atividades físicas é, sem dúvida nenhuma, uma das coisas mais importantes que podemos fazer para manter uma boa saúde.

Exercícios físicos ajudam a controlar a pressão arterial, o sobrepeso, a obesidade, o diabetes e várias outras doenças.

E os benefícios não param por aí. Há estudos que mostram que a prática de atividades físicas regulares pode ser benéfica nos portadores de depressão, além de melhorar a imunidade e manter a função cognitiva em idosos, o que significa deixar os cérebros mais ativos e funcionando bem.

Com tantas vantagens, acho que o leitor já deve estar calçando o seu tênis para ir caminhar ou para a academia, certo?

Porém, se você teve infecção pelo novo coronavírus, a COVID-19, alguns cuidados são necessários antes de iniciar ou voltar a praticar exercícios.

É o que orientam a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e Esporte (SBMEE) em um documento publicado em outubro.

Todos os pacientes que tenham se recuperado da COVID-19 precisam, antes de reiniciar o exercício, fazer uma avaliação com seu médico, preferencialmente um cardiologista.

Isso porque a COVID-19 tem o potencial de afetar o coração. Estima-se que 20-30% dos pacientes hospitalizados com a doença apresentem algum tipo de dano cardíaco, sendo esse dano pode contribuir com até 40% das mortes. Entre as complicações cardiovasculares que ocorrem nesse grupo de pacientes se destacam: lesão miocárdica (20% dos casos), arritmias (16%), miocardite (10%), além de insuficiência cardíaca congestiva (ICC) e choque (até 5% dos casos).

O médico então fará uma avaliação clínica, o exame físico e, se julgar necessário, poderá pedir outros exames.

A necessidade ou não desses exames complementares será determinada pela gravidade do quadro infeccioso da COVID-19 e pelo tipo de esporte que o paciente pretende realizar.

No mínimo, será necessário realizar a avaliação clínica e um eletrocardiograma. Se tudo estiver normal, o paciente pode retornar às atividades após um período de 14 dias livre de sintomas.

Se houve um quadro mais grave, podem ser necessários fazer mais exames e observar por um período mais prolongado. Pois, apesar do exercício ser fundamental para a nossa saúde, eles só devem ser realizados quando houver total segurança.

Portanto, caso tenha tido COVID-19 procure seu médico e faça uma avaliação antes de retornar às atividades físicas. O exercício vai te ajudar a manter uma boa saúde e imunidade, o que é muito importante nesse momento de pandemia em que vivemos.

Cuide da sua saúde e faça suas atividades físicas com segurança! Procure seu médico.

Coronavírus e doenças do coração

Coronavírus e coração: explicando a relação

O novo coronavírus (Sars-Cov2), o qual é causador da pandemia de COVID-19, está causando preocupações em todos, mas especialmente no grupo de pessoas que possui alguma doença do coração.

Muitos pacientes meus já me procuraram para saber maiores informações e quais precauções deveriam tomar.

Continue Reading

Novas metas para o controle da Pressão Arterial

O Colégio Americano de Cardiologia publicou recentemente os valores alvo para a pressão arterial em pacientes hipertensos e com doenças vasculares. A pressão arterial máxima nesses casos de doença arterial coronariana é de 140x90mmHg (mais conhecido popularmente como quatorze por nove). Continue lendo “Novas metas para o controle da Pressão Arterial”